Mero traço que no peito abraça, abarca em brisas soltas teu sorriso, mas em vão sequer protege meu achado das rudes ventanias que destronam a paz!

Publicado por: marciasl2001


Editora Protexto lança "Porões Duendes", segundo livro de Márcia Sanchez Luz, com prefácio de Leila Míccolis



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (1498)
Publicado por: marciasl2001

 

Contradança
 

© Márcia Sanchez Luz
 

Sou feito a bailarina que descansa,
entregue após a valsa que entristece
e que a faz, sorrateira em esperanças,
refrear o desejo que emudece.
 

Tão pouco sei de mim e de você!
(Do riso pulsa a veia latejante)
O espelho em que me vejo é tão clichê!
Reflete até o espaço itinerante!
 

Assim, quando acordar da contradança,
aguardarei o olhar que me envaidece
e que me faz corar e me enternece.
 

E entardecendo a dor que não fenece
meus olhos, de cansaço, vão se unir.
À espera, movimento não padece.



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (1050)
Publicado por: marciasl2001

 

Inalienável Veto

© Márcia Sanchez Luz

 

 

Mero traço que no peito abraça,

abarca em brisas soltas teu sorriso,

mas em vão sequer protege meu achado

das rudes ventanias que destronam a paz!

 

 

Quero a semente que te aleita a vida!

Em forma de sustento, o alento é puro.

Se na semeadura teu lago é mais fundo,

que então teus grãos possam nutrir meus dias.

 

 

Secreto a ti meus mais parvos idílios!

Caprichos tolos, porém verdadeiros.

E na pujança de meus devaneios

espero a noite que me acorde os sonhos.

 

 

Estreitas brumas impelem-me a alma

a transgredir preceitos tão abjetos!

Pois que de tola já me basta a crença

de ser em mim inalienável veto.

 



Ler mais | Comentários (0) | Visualizações (1080)

1 a 4 de 4 Primeiro | Anterior | Seguinte | Último |
©2017. Todos os direitos reservados